sexta-feira, novembro 13, 2015

Def Leppard - O Retorno

Salve StockRockers!Uma das minhas bandas preferidas está de volta e com álbum novo.Confiram abaixo a ótima matéria bem escrita por Lizandra Pronin
do Território da Música!Keep On Rocking!
Quando uma banda com 38 anos de estrada lança um álbum autointitulado isso geralmente significa que uma autoafirmação ou, ao menos, uma declaração precisa ser feita. E o que o Def Leppard (re)afirma com seu décimo primeiro álbum de estúdio é que ainda tem lenha para queimar nessa fogueira chamada Heavy Rock."Def Leppard", o disco, chega depois de um intervalo de longos 7 anos - uma vida inteira nos parâmetros atuais, onde tudo acontece tão rápido e todos estão sempre conectados às últimas novidades. A expectativa, é claro, sempre representa um perigo nesses casos. Mas o Def Leppard sai ileso à prova do tempo e do olhar (e ouvidos) dos fãs. Porque os 54 minutos de música que a banda inglesa nos apresenta são dignos de seus áureos tempos.Musicalmente, o álbum reúne uma mescla de tudo o que o Def Leppard já fez ao longo da carreira. Desde a radiofônica "Let's Go" - ok, todas poderiam muito bem tocar em uma FM - até a balada "Blind Faith", o repertório não deixa dúvida: o DNA da banda percorre todas as faixas. E há um clima muito orgânico em todas as músicas, mesmo nas baladas.Além de "Let's Go", que já citei, os destaques do álbum são as faixas mais enérgicas, como as empolgantes "Dangerous", "All Time High" e "Sea of Love", que te levam de volta no tempo; "Man Enough", conduzida por uma hipnotizante linha de baixo; e "Invincible", uma canção que faz a gente querer cantar junto logo na primeira audição.Mesmo deixando uma quase desconfortável sensação de Déjà vu, "Broke 'N' Brokenhearted" é outra faixa que merece menção pois acaba cativando o fã do estilo com muita facilidade. O momento mais fraco do repertório talvez seja "Last Dance" - uma balada bonitinha, mas que talvez não acrescente muito ao todo do disco.Vale comentar ainda a acústica "Battle of My Own", que tem um pé no Led Zeppelin - influência desde o início da carreira, o próprio nome do grupo faz uma referência/homenagem - e ainda um quê de Aerosmith, mas coros vocais com efeito nos lembram que estamos ouvindo outra coisa aqui.Depois da derrapada que foi "Songs From The Sparkle Lounge", com sua tentativa de se aproximar do country (eu ouvi alguém gritar 'Bon Jovi'?), "Def Leppard" é uma redenção. É o caminho que a banda devia ter tomado depois do ótimo "X", de 2002.

Nenhum comentário:

Postar um comentário