domingo, janeiro 05, 2014

Dr. Feelgood - Mötley Crüe

No clássico dessa postagem vamos falar sobre “Dr. Feelgood”, faixa título do quinto álbum de estúdio do Mötley Crüe, lançado em 1989. O Mötley Crüe sempre seguiu a risca os mandamentos do Rock, ou seja: sexo, drogas & rock n’ roll. No quesito drogas e álcool, havia uma dedicação fervorosa por parte da banda. Consumiam quantidades industriais de produtos químicos. Os problemas decorrentes dos excessos começaram a surgir. Ocorreram prisões, porte de entorpecentes, brigas, escândalos e até overdoses. Até o final de 87, todos os membros da banda passaram constantemente algum tipo de problema. O cenário se mostrava muito desfavorável. Não havia como continuar assim, então, os caras do MC resolveram tirar o time de campo, e todos se internaram em centros de reabilitação para dependentes químicos. O que mais contribuiu para essa retirada foi a overdose de heroína do baixista Nikki Sixx numa festa com amigos (incluindo Slash, Steven Adler do Guns N’ Roses, e Robbin Crosby do Ratt) no dia 23 de dezembro de 1987. O coração de Nikki chegou a parar por 2 minutos, sendo reanimado por 2 injeções de adrenalina aplicada por paramédicos.
 
O álbum marca o retorno de um Mötley Crüe mais limpo e sóbrio. Uma espécie de Rehab da banda. Eles foram um dos maiores expoentes da cena Glam metal que reinou durante os anos 80. O disco deixa de lado um pouco esse Glam, para um hard rock mais direto e menos pose. Para nos situarmos, na ocasião do lançamento de “Dr Feelgood”, é válido lembrar que o Guns estava atingindo o topo, e a cena grunge começava a dar seus primeiros e sólidos passos. A letra da música fala sobre um traficante fictício, num tom de bom humor, irreverente, e como este pode fazer você sentir-se bem. A música em si nos brinda com um hard insinuante, refrão empolgante que dá vontade de cantarolar junto, e aquela pegada arrasa quarteirão, característica de uma musica feita para grandes arenas e estádios lotados. Gravado em Vancouver - Canadá, bem longe dos perigos de Los Angeles, o álbum ficou no topo da Billboard do ano, emplacando vários hits, entre estes "Kickstart My Heart”, que se tornou hino da banda. Tamanho sucesso, também se deve ao talentoso produtor Bob Rock, que deu um som mais polido e vibrante na gravação, com uma qualidade superior aos antigos discos do MC. Formação: Vince Neil: (vocal, gaita, guitarra); Mick Mars: (guitarra); Nikki Sixx:(baixo, vocal); Tommy Lee: (bateria, percussão, vocal). MC sem duvida é uma das maiores e mais importantes bandas do rock americano e mundial. Venderam mais de 80 milhões de discos ao redor do mundo.  São bandas assim, músicas como essa, e álbuns como Dr. Feelgood que vão escrevendo os capítulos da história do ROCK. Abaixo você confere "Dr. Feelgood":

não esqueçam de pausar a programação StockRockRadio acima
 


Por Juniorock

Nenhum comentário:

Postar um comentário