quarta-feira, agosto 28, 2013

Flanger ou Phaser?

Flanger ou Phaser? Efeitos que soam parecidos e que dão um clima todo especial no som de sua guitarra. Hoje vamos falar da origem desse pedais e dica de como usa-los.
Um belo dia, Les Paul foi gravar umas coisas utilizando seu pedal de Chorus. Só que ele teve uma idéia inusitada: pegar o sinal copiado do Chorus que seria aplicado no sinal original e realimentar o circuito com ele.
Solda aqui e ali, e ele ligou a saída do circuito que copiava, desafinava e defasava o sinal de volta ao seu início, fazendo um loop.
Esta ligação faz com que a segunda cópia seja misturada à primeira , também com uma pequena defasagem. E este novo sinal, resultado da soma defasada entraria novamente no sistema, criando um loop infinito e retro alimentado. E a cada nova sobreposição de sinais, frequências seriam intensificadas ou reduzidas por soma e subtração de harmonicos.
Resultado um som de vento, redemoinho , turbina de avião,sei la mas oque .Então surgiu o Flanger .


Curiosidade: o nome do efeito vem da época do delay de fita. Para criar essa sonoridade, os tecnicos de estúdio metiam o dedo na peça onde estava montado o rolo de fita magnética, fazendo ela girar mais devagar para criar os atrasos. E Flanger era o nome da peça.


Já o circuito do Phaser é quase igual ao do Flanger. A única diferença é que são acrescentados ao primeiro uma série de filtros Passa-Tudo. Estes filtros deixam passar todas as frequências sem atenuar nenhuma, mas alteram a fase do sinal. Estas defasagens entre sinais criam somas e cancelamentos de harmônicos.
O resultado sonoro lembra um pouco o Flanger, pelo jeitão de som que fica oscilando, mas sem o timbre de ¨turbina¨.


Como usar, lembrando sempre que:
Regra de ouro número 1: vá mexendo no seu equipamento(ampli e guitar) até você achar o som que você gosta
Regra de ouro número 2: leia o manual de instruções.
Prosseguindo:
Botões básicos: “Level” (regula a intensidade do sinal copiado em relação ao sinal original – serve pra colocar pouco, médio ou muito efeito), “Rate” (regula a frequência das oscilações);
O Flanger tem menos presença que o Chorus, mas ainda assim engorda o som. O Phaser ainda menos.
Em doses homeopaticas, fica bom para usar em partes soladas. Ajuda a engordar o som de uma forma sutil, principalmente se for usado com distorção. Ninguém vai perceber o efeito de imediato, só se voce tira-lo;
Pra usar em bases, acho bacana usar doses maiores, pra deixar o efeito bem nítido, na cara do ouvinte. É meio clichê, mas funciona;
Como todo efeito que oscila no tempo (se algo oscila, é lógico que é no tempo, mas não consegui formular frase melhor), vale a pena casar o a oscilação com o beat da música, ou algum múltipo do beat – dois tempos, quatro tempos, etc.
99% de chance de embolar muito o som se for usar com Delay, Reverb e Chorus. Use com cuidado. Aliás, se você souber como misturar esses osciladores todos e ficar bom, me ensina. Eu posto aqui no blog com os devidos créditos.
Esses efeitos são comumente usados pelos tecladistas, mais até do que os guitarristas. Aliás, os circuitos de Phaser e Flanger são a base de funcionamento de alguns sintetizadores.
Até a próxima.
fonte:estadodearte

Nenhum comentário:

Postar um comentário