quarta-feira, agosto 21, 2013

Delay ou reverb?

Delay ou Reverb? Dois efeitos que dividem o guitarrista, hoje iremos falar da origem deles e quem sabe ajudá-lo a decidir onde e qual dele usar.

Os primeiros efeitos de delay e reverb analógicos foram obtidos por meio de cópias múltiplas de uma gravação em fita colocadas para tocar com uma pequena defasagem, para depois serem misturadas novamente no sistema de som. Esse tipo de efeito era o chamado “Tape Reverb”, ou “Reverb de fita”, por razões óbvias.
Usado ainda em estúdio para aqueles que buscam o som ¨vintage¨ e ao vivo por alguns excêntricos guitarristas, é o caso de Ritchie Blackmore que utiliza algo parecido a esse, que representa para os leigos um toca fitas de rolo, aquele que seu tio tinha na década de 70 e era o máximo.
Bem nada impossível para os engenheiros. Então eles pensaram então que, ao invés de gravar um sinal duas vezes para depois misturá-los, eles podiam simplesmente botar o sinal de áudio para ser tocado e re-captado de volta, devidamente atrasados. Eles conseguiram isso fazendo vibrar placas de metal ou molas. E assim surgiam os reverbs de placa e mola, respectivamente, muito populares em amplificadores de guitarra graças ao seu baixo custo.

Tudo isso para mostrar a origem e cair de cara na poeira, pois na década de 80 quando inventaram os sistemas de processamento digital de áudio, Hoje os dois efeitos vêem em forma de pedais, racks e nos plugins de software de gravação e edição.

No fundo, no fundo, Delay e Reverb são as mesmas coisas: som repetido com um atraso. A diferença entre um e outro é apenas o tempo entre um atraso e outro. A sensação de ambiência do reverb é dada por repetições rápidas em relação ao primeiro som, com um atraso curto. Já a sensação de repetição do delay é obtida por um atraso muito longo. A conta eu não sei ao certo, mas para o Reverb os atrasos são em torno de 20 milissegundos, e para o Delay, acima de 150.
Abraços até a próxima:vermelho
fonte:estadodearte

Nenhum comentário:

Postar um comentário