domingo, julho 28, 2013

Whole Lotta Love – Led Zeppelin

 
Há músicas que viram clássico, marcam época, e o tempo somente fortalece essa condição! Vira referência! Torna-se querida por várias gerações. Não somente pela qualidade da composição, da estrutura, melodia, harmonia da música, mas também pelo carisma da banda, técnica instrumental, da mensagem que a letra transmite, um conjunto de fatores contribui para isso. No clássico dessa postagem, vamos falar sobre “Whole Lotta Love” faixa de abertura do álbum Led Zeppelin II, segundo de estúdio do lendário grupo britânico Led Zeppelin, sendo lançado pela gravadora Atlantic Records em novembro de 1969. O riff da música criado pelo guitarrista e compositor Jimmy Page está entre os mais famosos e importantes da história do rock.
Whole Lotta Love foi pivô de polêmica envolvendo seus direitos autorais. Em 1962 Muddy Waters gravou “You Need Love” composição do blues man Willie Dixon. O Led foi acusado de plágio por Willie Dixon (figura acima). Houve um acordo e Dixon ganhou os direitos autoriais e aparece nos créditos da música. Também foi indenizado financeiramente. Lembrando que ele foi um grande músico&compositor, e também um dos nomes mais importantes do blues, fonte de inspiração para várias bandas de rock que estavam surgindo na época. Entre elas podemos destacar: Rolling Stones, Cream, Jimi Hendrix, e The Doors. Para medirmos a importância do Led Zeppelin e deste clássico, destaco o trecho de uma entrevista dada pelo guitarrista Slash ao site MusicRadar em 2009. Perguntado sobre qual o seu riff favorito de todos os tempos: Slash RESPONDE: "LED ZEPPELIN tem provavelmente o maior acervo de riffs matadores, mais do que qualquer outra banda, sabe. Eu estava pensando em 'Whole Lotta Love'. Eu me lembro quando aquele disco saiu - foda, eu era uma criancinha. Mas você sabe 'Black Dog' é outro. O ZEPPELIN tem provavelmente o maior acervo de riffs matadores, mais do que qualquer outra banda, sabe. Eu poderia continuar... tem tantos grandes riffs, que é difícil escolher qual é o número um."


O clássico:  A faixa inicia com o riff distorcido, totalmente desafiador, como se um zeppelin de chumbo tivesse dando um rasante sobre sua cabeça, com o instrumental na mesma pegada do riff. O experimentalismo começa no 1’:22” e vai até 3:02 com Bonham na bateria fazendo acompanhamento para aqueles ruídos obscuros que tanto incitam nossa imaginação. Estes sons são obtidos por Jimmy Page através do “teremim”.

 O teremim é um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrônicos, controlado sem qualquer contato físico pelo músico. O músico se posiciona de frente ao instrumento e move suas mãos perto das antenas de metal. Na maioria das vezes, a mão direita controla a frequência e a esquerda controla o volume, embora esta disposição seja invertida por alguns artistas. Sobre o uso do exótico instrumento na gravação, o engenheiro de som Eddie Kramer explicou, abre aspas: "O famoso trecho de Whole Lotta Love, onde acontece de tudo, é o resultado que Jimmy e eu obtivemos ao experimentar absolutamente todos os botões do pequeno console de mixagem". O instrumental retorna com John Bonham numa entrada arrebatadora de bateria, o instrumental comendo solto de forma livre e selvagem, com direito a solo magistral de Page. Robert Plant uiva “Way down inside, woman, You Need Looooove” como se estivesse no alto de um vale de montanhas, ecoando sua voz. Pura magia! Isso é rock and roll!  A letra   tem conotação sexual, lasciva, repleta de malicia. Selecionei dois trechos da letra para vocês sentirem:I'm gonna give you  Every inch of my love, gonna give you my love” . Traduzindo: “Eu vou te dar cada centímetro do meu amor, vou te dar o meu amor”  e “Shake For Me Girl  I wanna be your backdoor man” Balance pra mim garota, Quero ser seu amante”. Reforçando a tese dessa conotação, no meio da faixa estaria Robert Plant simulando um orgasmo? Opinião: Polêmicas de plágio a parte, gostaria de expressar minha modesta opinião: Assim como Dixon tem seus créditos, o Led Zep tem os méritos! O Led, como incontáveis outras bandas e artistas, tiveram suas referencias, suas influencias. Obviamente que foram influenciados pelos blues man americanos, e nunca esconderam isso de ninguém. No álbum Led 1 as faixas “You Shook Me” e “I Can’t Quit You Baby” são versões de músicas de Dixon. Não somente o Led, mas quase toda uma geração de bandas que estavam surgindo na época. Cabe aqui observar que: O blues é o pai do rock! Souberam como ninguém utilizar essas influências para formar sua identidade sonora. Assim como as bandas atuais se inspiram em Beatles, The Who, no próprio Led, em Sabbath, Deep Purple. O legado do Zeppelin é muito vasto e qualificadíssimo. Introduziram os mais variados ritmos, entre estes: folk ingles, música clássica, reggae, e até funk. Transformaram o Blues num rock calçado numa espécie de Power Blues. Revolucionaram o rock! Formação: Robert Plant (vocal); Jimmy Page (guitarra); John Paul Jones (baixo / teclado) e John Bonham (bateria). Segue abaixo "Whole Lotta Love" ao vivo:
 
Para assistir de pausa na programação stockrock acima
  


Por Juniorock

Um comentário:

  1. Boa matéria Juninhooooooooooo....Juneka vc conseguiu ver o email? Então nós demos todos sábados pra vc também postar, viu que legal que nós somos.... eh eh eh Se não quiser avise-nos.

    ResponderExcluir