segunda-feira, maio 20, 2013

Alice in Chains: Como andam as coisas ?

Salve Stockrockers! Bandas como o Alice in Chains são eternas, sempre será uma  referencia .Mas quando uma banda perde um integrante e continua na estrada a coisa fica diferente, ou os caras ficam naquelas de tocar só os sons antigos e correm o risco de serem lembrados agora desta forma,ou tentam substituir esse membro, no caso o vocalista e no caso Laney Staley, e seguir em frente.É o que parece estar acontecendo com o Alice, em entrevista a Revista Rolling Stone ,o baixista Mike Inez conta como foi o golpe que a banda sofreu com a perda de Laney e como andam as coisas na banda.

Prestes a lançar o novo disco, The Devil Put Dinosaurs Here, e com show marcado para o Rock in Rio (19 de setembro, no mesmo dia do Metallica), o Alice in Chains finalmente entrou nos eixos com o novo membro, William DuVall, que divide vozes e guitarras com Jerry Cantrell. “Foi após a turnê por 32 países que passamos a nos sentir mais como uma banda de verdade”, diz o baixista Mike Inez, que relembra a estranheza de estar no estúdio e sentir a ausência de Layne Staley, vocalista morto em 2002 em decorrência de uma overdose de heroína. “Foi estranho. A gente ficava meio que olhando para os lados: ‘Cadê a porra do Layne?’
Aos 47 anos completados nesta terça, 14, Inez é o lado mais ensolarado do Alice in Chains, uma das bandas de caráter mais cavernoso a surgir em Seattle no final dos anos 80. Inez, que só não participou das gravações dos dois primeiros álbuns e do EP SAP, entrou na banda em 1993, no lugar do baixista Mike Starr (que morreu em 2011, também de overdose de heroína). Falando de Los Angeles (“Está um lindo dia, você deveria estar aqui”), ele se declarou empolgado com a presença de certos vizinhos ilustres no estúdio onde ensaia com o Alice in Chains. “Estamos ensaiando do lado do Black Sabbath! Nem consigo explicar quão divertido tem sido. Fiz parte da banda do Ozzy por uns dez anos, ele e Sharon são como meus pais!”

Confira a entrevista na integra no link Revista Roling Stone.
por:vermelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário