sábado, julho 07, 2012

Lita Ford - Deusa do Hard está de volta

Salve salve StockRockers de plantão!Na postagem de hoje vamos contar um pouco da vida desta musa do rock chamada Lita Ford que está de álbum novo.Esta matéria de hoje chega com a assinatura de um companheiro de longa data da época de nossa querida Mooca FM:Rogério Borges.Um cara que é da velha escola e chega pra somar seus conhecimentos de rock com nossa equipe.Seja bem vindo e Keep Rock!

Carmelita Rossanna Ford,mais conhecida como Lita Ford, nascida em 19 de setembro de 1958,é uma vocalista e guitarrista de hard rock,que alcançou popularidade na década de 1980.
Lita é a 1ª da direita para esquerda

Lita nasceu em Londres,mas tem ascendência italiana.Ela se mudou com a família para os Estados Unidos ainda criança. Lita juntou-se à banda feminina The Runaways aos 16 anos de idade,e após o término do grupo em 1979 iniciou carreira solo.Seus dois primeiros álbuns tiveram um sucesso bastante discreto.

Em 1985 Lita foi indicada para o Grammy de "melhor performance feminina de rock" em Gotta Let Go, junto com Wendy O. Williams e Pia Zadora. Em 1988, com Sharon Osbourne como empresária, Lita alcançou seus maiores sucessos, Close My Eyes Forever (dueto com Ozzy Osbourne, marido de Sharon) e Kiss Me Deadly.


Lita foi casada com Chris Holmes (da banda W.A.S.P.) de 1986 a 1992 e esteve envolvida com Nikki Sixx (do Mötley Crüe) e Tony Iommi. Atualmente, ela é separada de Jim Gillette (da banda Nitro). Ela fez um teste e saiu-se muito bem. Após este fato, aconteceram muitas idas e vindas, vários desencontros, mas seis meses depois, eles procuraram Lita e a convidaram para entrar na banda. Vale lembrar que a banda Runaways contava com Joan Jett e Cherie Reed. Lançaram cinco discos que não fizeram sucesso nos EUA. Após o fim da banda, Lita partiu para uma grande carreira solo.

Seu primeiro álbum chamou-se “Out for Blood”, e não chamou muita atenção. A maioria das pessoas dizia que a melhor coisa do disco estava na capa: uma foto altamente sensual de Lita. Para não dizer que tudo estava perdido, a faixa “Rock and Roll Made Me What I Am Today” era bem legal.
Nesta época, ela já assumia seu relacionamento com Nikky Sixx do Motley Crue. Eles ficaram um bom tempo juntos, numa fase difícil, onde tiveram muitos problemas, já que estavam sempre drogados e metidos em confusão. Lita chegou a pagar fiança para livrar Nikki da cadeia.
Com “Dancin on the Edge” ela se redimiu e fez um dos melhores discos de hard dos anos 80. Este álbum trazia Randy Castillo e Hugh Mcdonald (atual Bon Jovi).
O terceiro álbum saiu no mesmo nível do anterior. Batizado de “Lita Ford” apenas, o disco vendeu bem, graças a um dueto com Ozzy Osbourne em “Close my eyes forever”. Nesta época suspeitava-se de um envolvimento entre ela e Tony Iommi, ex parceiro de Ozzy no Black Sabbath. Diziam as más línguas que David Lee Roth do Van Halen também corria por fora, na disputa pelo coração da Loira.
Contrariando as previsões, em 89 ela casou-se com Chris Holmes do WASP. Tempos depois eles se separaram por causa do alcoolismo de Chris.
“Stiletto”, lançado em 1990 foi o quarto álbum. Neste disco Lita mostrava um amadurecimento em todos os sentidos. Apesar de o som estar mais suave, faixas como “Aces & Eights” mostravam que ela progredia a olhos vistos. Aqui encontramos também “Lisa”, uma canção em homenagem a sua mãe falecida.

Após uma breve tour americana, ela entrou em estúdio novamente e lançou “Dangerous Curves” em 1991, bem mais pesado que “Stiletto”. “Hellbound Train” e” Black Window” são as grandes canções do disco que foi o último bom momento da carreira de Lita Ford. 
Nos anos seguintes, a gravadora lançou duas coletâneas, demonstrando que não tinha interesse em um novo álbum de Lita.
Por mais que o vento soprasse contra, em 1994 ela lançou “Black” por um selo independente chamado Zyx. O disco teve participações de Dave King (Fastway) e Jeff Scott Soto, mas isso não foi suficiente para torná-lo um sucesso. Era mais uma tentativa do pessoal dos anos 80 pegar carona no movimento alternativo que estava surgindo. “Black” foi realmente um fiasco. Músicas como “Black” e “Joe” faziam a Deusa do hard parecer uma paródia de Courtney Love.

Agora a Deusa Do Hard está de volta em grande estilo!"Living Like a Runaway "é o oitavo álbum de estúdio de Lita Ford e o primeiro pelo selo SPV/Steamhammer Records. O álbum foi co-escrito e produzido pelo guitarrista Gary Hoey e representa um retorno à velha forma de Lita, que se inspirou desde seu "divórcio litigioso" do vocalista da banda Nitro Jim Gillette.
Abaixo vocês podem curtir a  primeira faixa do álbum ."Branded" é um som que já começa com riff de guitarra com assinatura de Lita.Acessem o site oficial da deusa se quiserem saber um pouco mais.Até a próxima!
Fonte:Wikipédia
Por Rogério Borges


2 comentários: