domingo, maio 13, 2012

Division Bell - Pink Floyd


“Division Bell” é o último álbum de estúdio do Pink Floyd. Tomara que isso não seja definitivo, e que os caras do Floyd possam se reunir algum dia. Tenho certeza que os amantes da música em geral, fãs de rock e da banda ainda mantém um fiozinho de esperança! Voltando ao álbum, “Division Bell” foi lançado em 1994. Lembrando que nessa época as bandas de grunge estavam no auge, e, apesar disso, o disco teve excelente vendagem. Chegou a ser número 1 da tabela Billboard 200 (a Billboard é uma revista semanal americana especializada em música. É considerada uma espécie de Bíblia da Música, mantendo vários rankings internacionais) em abril de 1994, algo que não acontecia desde o clássico The Wall. Esse álbum marca um período turbulento de muitas brigas entre Roger Waters com David Gilmour e também com os outros membros da banda. Uma disputa de egos sem fim e pelo nome do Pink Floyd. Sem contar com Roger Waters desde “A Momentary Lapse Of Reason” de 1987, esse álbum demonstra que o Pink Floyd é Pink Floyd, mesmo sem contar com o carismático e talentoso compositor Roger Waters. Há vida sem Roger Waters. As composições das músicas ficaram divididas entre David Gilmour (guitarra, vocal) e Richard Wright (teclados, vocal). Sustentados por Nick Mason (bateria e percussão) a dupla Gilmour-Wright demonstra mais liberdade, e aflora um grande talento criativo. O álbum apresenta uma sonoridade mágica, um clima New Age que conduz o ouvinte a lugares de rara beleza, relaxantes e calmos, despertando aquela sensação de uma nova consciência. Na figura abaixo, podemos notar uma das fontes de tamanha inspiração. Em destaque o barco “Astoria” de David Gilmour, onde foi gravada boa parte de “Division Bell”.
"Astoria" - Barco estúdio
Achei interessante postar esse álbum em “dicas”, pois entendo que é uma boa porta de entrada no Universo Pink Floyd para os jovens que estão descobrindo a música, além é claro, da grandeza da obra em si. Segue abaixo as faixas "Marooned" e "High Hopes" (ao vivo) - uma das faixas mais belas já feitas pelo Pink Floyd. Notas celestiais ecoam do teclado de Richard Wright, seja num acorde ou na introdução das músicas. David Gilmour desfila notas e solos profundos/envolventes que despertam os mais belos e variados sentimentos. Confiram abaixo uma pequena amostra desse álbum:


Não esqueçam de dar pause no player da rádio



Por Juniorock

Nenhum comentário:

Postar um comentário