segunda-feira, dezembro 19, 2011

Os melhores livros sobre Hard & Heavy de 2011

Salve Stockrockers! A literatura sobre bandas é uma vertente com muitos apreciadores, essa matéria é bem interessante,então resolvemos compartilhar com vocês.
Metalion é um volume enorme, contendo cada edição do lendário e seminal zine em sua totalidade. Kristiansen vem da Noruega, e tinha um assento na primeira fila na época em que a cena black metal daquele país teve início. Ele fez amizade com muitos dos músicos de lá, e de outras partes do mundo, como Euronymous, Jon Nödtveidt, Faust e inúmeros outros. Com um estilo de escrever singular e extremamente direto, Kristiansen não tem medo de expressar as suas opiniões. A franqueza e a honestidade (tanto do escritor quanto do entrevistado) é algo que tem diminuído muito ao longo dos anos, com o metal ficando menos perigoso e mais experiente em relações públicas. Jon Kristiansen dedicou a sua vida ao heavy metal, e alcançou uma trajetória e reputação impecáveis. Milhares de leitores descobriram inúmeras bandas por sua causa, enquanto as bandas necessitam de divulgação para se tornarem conhecidas. Sem dúvida, este livro se transformará em material de primeira necessidade para quem pretende explorar e entender a história do metal.


Joel McIver já escreveu uma tonelada de livros, e era o escriba ideal para essa biografia de Randy Rhoads. Ele também publicou uma bio de Cliff Burton, que também morreu muito jovem. Há uma série de semelhanças entre essas duas histórias. Ambos foram prodígios musicais, amados por legiões de fãs, e morrerem em acidentes sem sentido. Crazy Train conta a história de Rhoads desde o início. O livro relata a sua juventude, como ele começou a tocar guitarra, os seus dias como professor e, finalmente, sua entrada no Quiet Riot. Seus dias com Ozzy são descritos extensivamente, incluindo a composição e gravação dos clássicos discos Blizzard of Ozz (1980) e Diary of a Madman (1981). McIver conta a história da vida de Randy Rhoads através de várias perspectivas diferentes, entrevista familiares, amigos e colegas de banda, obtendo uma imagem completa dele como músico e como pessoa.

Butch Walker começou a sua carreira como um artista de hair metal. Você deve se lembrar de sua banda SouthGang, que lançou um par de álbuns no início dos anos 90. A banda implodiu, mas ele se recuperou com o Marvelous 3, que teve um hit de certa repercussão com o single power pop “Freak of the Week”, em 1999. Ele eventualmente produz algo, e já trabalhou em inúmeros álbuns e singles de sucesso. A minha parte favorita de Drinking with Strangers é a que fala dos primeiros dias de Walker, a partir da sua juventude na Georgia até o SouthGang. Há algumas história interessantes e anedotas, e Walker é muito honesto sobre os erros que cometeu, tanto do lado pessoal quanto nos negócios da banda. A Sunset Strip do final dos anos 1980 era um lugar muito competitivo, e o SouthGang surgiu pouco antes do grunge tornar-se popular e destruir o hair metal como gênero. Eu nunca conheci Butch Walker, mas ele parece ser um cara que você gostaria de sentar e tomar umas cervejas. É assim que o livro é: uma conversa informal, repleta de histórias muito interessantes.


Com Enter Night, uma biografia não-autorizada do Metallica, Mick Wall consegue sair do lugar comum ao falar sobre a banda. O conteúdo é engraçado, perspicaz e divertido, e existem alguns boatos que mesmo os fãs mais die hards provavelmente não têm conhecimento. As 480 páginas estão em um livro de capa dura brilhante, semelhante à simplicidade da capa do Black Album. Wall escreve as coisas como elas realmente são: Lars fala alto como uma criança europeia rica e mimada; o homofóbico bebedor de cerveja Hetfield adora armas; a atitude honrosa de Newsted, constantemente ricularizado enquanto esteve na banda; o amor do temperamental Mustaine pelas drogas e pelo álcool. Está tudo aqui. A abordagem imparcial de Mick Wall permite elogios quando a banda merece, mas é extremamente crítica quando se faz necessário.


O apresentador de rádio e TV Eddie Trunk compilou em um livro 35 diferentes nomes influentes do hard rock e do heavy metal. Cada banda recebeu um capítulo com a sua história e fotos raras a cargo de Ron Akiyama. Há também boxes com a discografia e playlists recomendados por Trunk. Alguns artistas são escolhas inquestionáveis, como Black Sabbath, Metallica e Judas Priest, enquanto outros podem desencadear alguma dicussão, como Billy Squier, Cheap Trick e Rainbow. O apelo do livro não é a informação biográfica, que pode ser encontrada em qualquer lugar, nem os playlists, que existem basicamente para ocupar espaço. O que torna a obra interessante são as histórias de Eddie Trunk. Ele interagiu diretamente com todas essas bandas durante a sua longa carreira, e conta alguns grandes causos aqui. De sua famosa entrevista com Axl Rose a um concerto privado do Judas Priest, passando pela morte de seu amigo pessoal Ronnie James Dio, as histórias variam de engraçadas a absolutamente bizarras, mas são sempre muito cativantes.
fonte:collectorsroom

Nenhum comentário:

Postar um comentário