segunda-feira, outubro 18, 2010

Iron Maiden-The Final Frontier



The Final Frontier é o 15º álbum do Iron Maiden e foi lançado mundialmente dia 16 de Agosto de 2010. Como todo álbum de banda do primeiro escalão, gerou uma enorme expectativa por parte da mídia especializada e dos fãs do rock e da boa música. E para alegria geral a expectativa se confirma de maneira muito positiva, afinal trata-se de Iron Maiden.
O disco inicia com a faixa 1 - Satellite 15... The Final Frontier que começa com um baixão futurista metalizado e acompanhado de uma bateria tribal. Poderia ser uma tribo de canibais batendo tambores no meio da África enquanto cozinham alguém, mas está mais para uma batida progressiva, uma trupe de viajantes e guerreiros do espaço sideral. Logo em seguida, surge uma guitarra cortante e narcótica, formando um som viajante, sugerindo o Maiden buscando novos horizontes para a sua música, fugindo um pouco de suas características do metal tradicional. Uma grata surpresa! Um clássico que demonstra a grandeza do Maiden, criando uma atmosfera space/rock com o peso da banda. Até o meio da faixa o som rola numa pegada viajante. Do meio em diante, entra um puta rock vigoroso de altíssima qualidade, com grande pegada, belos riffs, e o vocal grandioso/magistral de Bruce Dickinson. Dukaa ...raio
A faixa 2 – Eldorado soa como uma continuação de “Satellite 15”. Inicia com o baixão nervoso dando cavalgadas, e logo entrando as guitarras com riffs e o vocal de Bruce, música bem típica, no melhor estilo Iron Maiden. Essa faixa não inova, poderia estar num outro disco do Maiden, porém é uma sonzeira.
3) Mother Of Mercy Começa com as guitarras suaves num clima sereno e melodioso, que vai se estendendo, até entrarem os riffs pesados e a cavalgada do baixo bem característico da velha Donzela, até entrar o refrão “Mother Of Mercy” que se repete ao longo da faixa. Considero uma boa faixa.
4) Coming Home Introdução de riffs suaves das guitarras propiciando um clima de balada para surgir Bruce cantando de forma profética. A faixa aos poucos vai se tornando intensa, grandiosa, épica. Durante a faixa há varias mudanças rítmicas de andamento das guitarras, com belíssimo solo. Típica música para ser tocada num estádio lotado. Ótima faixa!
5) The Alchemist Faixa típica do Maiden. Começa no gás e mantém esse pique durante toda a faixa. Metal de qualidade, mas não chega a impressionar!
6) Isle Of Avalon É uma das faixas onde a Donzela mais demonstra sua busca por novos horizontes. Começa com uma suíte, que vai se desenvolvendo de maneira sutil, com várias mudanças de andamento dos instrumentos que surpreendem durante a faixa, criando climas, ora acelerando o ritmo, ora tirando o pé do acelerador. Tipo quando uma banda se junta e começa a fazer uma jam session, sem preocupação alguma, o som vai rolando naturalmente. Sem contar com o belíssimo solo das guitarras...! Viajante, progressiva. Uma faixa maravilhosa!
7) Starblind Começa lenta. Você pensa que o som está numa pegada, de repente muda a pegada, entra em outra, e assim vai. Há muitas mudanças de andamento, de climas, com guitarras sobrepostas. Também viajante. Uma faixa interessante!
8) The Talisman Começa bem lenta e melódica no violão com Bruce recitando. Uma introdução demorada, e de repente entra o som pesado e característico da Donzela, com Bruce cantando com muita garra. Uma bela faixa!!!
As faixas 9 – The Man Who Would Be King e 10 – When The Wild Wind Blows soam muito próximo-parecidas, tem uma estrutura semelhante. Se você ouvir as duas juntas, pensará que se trata da mesma faixa. Melhor ouvir separadas. Introdução lenta, mudança de andamentos, grandiosas, progressiva e com simples e belos solos. Faixas muito boas!
Concluindo: Características do álbum
 Mudanças nos andamentos da música;  Faixas extensas;


 Flerte com o experimentalismo, a psicodelia e o progressivo;
 Tipo de disco, cada vez que você ouve, tem uma sakada diferente. Ouvi “trocentas” vezes para formar uma opinião. Riqueza nas construções/estruturas e nos detalhes.
Por se tratar de um disco lançado recentemente, me arrisco a dar nota: 8,5. O melhor álbum dos últimos 10 anos.
E vocês que acompanham Stock Rock? Conhecem o Álbum? Comentem e dê sua opinião, sua nota! Abraços para todos!

Formação:
Bruce Dickinson: Vocal
Dave Murray: Guitarra
Adrian Smith: Guitarra
Janick Gers: Guitarra
Steve Harris: Baixo e Teclado
Nicko McBrain: Bateria

por: JuniorocK

Nenhum comentário:

Postar um comentário