segunda-feira, setembro 05, 2011

Winger - Karma


O que posso dizer do Winger? Para mim é uma
das melhores bandas de Rock que conheço. Saber que os caras estão de volta, com trabalho novo e com mais pique que nunca, é sensacional. Mas vamos falar um pouco da história dessa Banda com B maiúsculo .

Kip Winger, nascido em Denver, USA, ainda jovem estudou musica clássica e ao mesmo tempo, estudava ballet clássico, mas vamos pular essa parte, rs ...
Bem, continuando, Kip Winger estudou musica em Nova York e Denver tornando-se um excelente baixista. Tinha como principais influencias, bandas de Rock como Yes, Alice Cooper (banda que viria a integrar), Jethro Tull, entre outras. No inicio da década de 80 em Nova York, junta-se ao velho conhecido e produtor conceituado, Beau Hill com quem realizou trabalhos free lancer e arranjos de estúdio, mas sempre com a idéia de montar uma banda própria aproveitando as horas vagas para preparar o material para seu álbum. Em 1986 Kip tem sua grande chance, é convidado a tocar na banda de Alice Cooper, la conhece Paul Taylor e Reb Beach, tecladista e o guitarrista da banda de Alice. Na hora os dois se interessam pelo projeto de Kip em montar uma banda. Para fechar o time, ele contactou o renomado baterista de estúdio Rod Morgenstein, que aceitou o convite.
Inicialmente a banda se chamaria Sahara, mas por sugestão do próprio Alice Cooper a banda ficou com o nome de seu criador “Winger”. Terminada as gravações do álbum de Alice, Kip Winger e sua banda entram em estúdio e gravam seu primeiro álbum que tem o nome da banda “WINGER” .
O disco foi elogiado pela crítica. O single “Seventeen” empolgou os produtores que queriam mais. E em 1990 lançam, “In the heart of The Young”, álbum que continha o Hit “Miles Away”, musica que viria a alavancar de vez a carreira dos rapazes, que já se apresentavam em shows ao lado de bandas como KISS .
No entanto uma forte mudança da tendência musical para o Rock na America, faz (para nossa sorte) o Winger assumir uma nova postura. O Hard estava caindo e um som alternativo mais pesado, subindo, e a banda, que não era nada boba, pegou uma carona no trem que subia.


Em 1993 a banda, lança o fabuloso “PULL” (Que em minha humilde opinião, esta entre os 10 melhores álbuns de Rock já gravados). Os fãs, mais acostumados as baladinhas melosas, não se convenceram muito. “AZAR DELES”, rs rs rs ... O álbum foi de matar, com a formação um pouco diferente, um Power trio, sem o tecladista Paul Taylor.
Após essa avalanche de Rock que foi o Pull, o Winger, não sei porque cargas d’água, se separa. Kip parte para um trabalho solo sem muita repercussão e, infelizmente depois da trágica morte de sua esposa, entra em uma fase melancólica com menos repercussão ainda.
Porém, passada essa fase Kip resolve começar uma nova empreitada. Procurando esquecer a melancolia dos álbuns solos, ele coloca o Winger novamente na ativa e desta vez a banda volta como um quinteto. Além dos quatro integrantes originais, soma-se mais um guitarrista chamado John Roth. E em 2006 o WNGER esta de volta e lança o maravilhoso “WINGER IV”, o álbum não foi muito divulgado por aqui, mas é maravilhoso, vale a pena conferir, e após essa volta memorável, em 2009 lançam mais um álbum para sacramentar de vez o retorno dessa grande banda, trata-se do álbum “KARMA”, mais uma vez sem o tecladista Paul Taylor, mas nem por isso deixou de ser um dos melhores álbuns da banda, riffs pesados, uma bateria arrasadora e apimentados pelo vocal incrível de Kip Winger (um dos melhores vocalistas que conheço), a banda esta melhor que nunca, simplesmente “BOM PRA CARALH..., UPS, PRA KACETE ... ” rs rs rs ...
A Stock Rock Radio mostra pra vocês essa maravilha na íntegra.(Não esqueçam de dar pause no player da radio).
Amantes do Rock de qualidade, deleitem-se ...

Sergio Sheman

“WELCOME ABOARD”





3 comentários:

  1. Como é bom ouvir um álbum do verdadeiro hard rock, esse disco me agradou muito. Eu gosto assim você põe pra rolar o disco e esquece, tem paulada, tem balada , tem um blusão que mata¨After All This Time¨,acho que essa faixa resume o som da banda no momento.Os caras estão matando a pau os vocais,bem arranjados, merecem um destaque especial.A sonoridade esta incrível. Obrigado ao Sergio Sheman que sempre tem umas sonzeiras na manga.
    Vermelho

    ResponderExcluir
  2. Sonzeira mesmo, muito bem trabalhado, competente !! Essa seção "Albuns" é uma oportunidade para conhecer novas bandas, novos sons.
    E ai Veméio , qdo sai seu "album"?
    E vc Arná / Satangós ??
    abraços
    até

    ResponderExcluir
  3. Pow parabéns pela matéria Sergião eu sempre falei pro Red e Pro Arná que Winger era bom pra caray, eles sempre falando que eu era gay e tals, mas eles como bons entendedores do assunto resolveram olhar com bons olhos para bandas como o Winger e curtir tudo de bom que tem por ai... abraço galera do Stock Rock!!!

    ResponderExcluir